Sexta, 19 de Julho de 2024 01:21
Capital DESENVOLVIMENTO

Para promover o desenvolvimento dos negócios locais, ADPVH e Manaus Tech Hub realizam workshop sobre Projetos Prioritários da Suframa em Porto Velho

O evento acontece nos dias 9, 10 e 11 de julho no auditório do Senai em Porto Velho

11/07/2024 08h10
Por: Redação Fonte: SMC
Divulgação/SMC
Divulgação/SMC

Com o objetivo de alinhar a sustentabilidade com o desenvolvimento de negócios inovadores na cidade, em parceria com a Prefeitura de Porto Velho, a Agência de Desenvolvimento de Porto Velho (ADPVH) e o espaço de inovação e empreendedorismo do SIDIA Instituto de Ciência e Tecnologia, Manaus Tech Hub iniciou, nesta terça-feira (9), o workshop sobre Projetos Prioritários da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O evento, que é para captação de recursos SUFRAMA, acontece no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Fiero), nos dias 9, 10 e 11 de julho, das 9h às 12h e das 14h às 17h, em Porto Velho.

Serão três dias de treinamento para a captação de recursos que irão compor os projetos que serão desenvolvidos na capital. A capacitação faz parte do Programa de política de incentivo ao desenvolvimento de Porto Velho, atraindo recursos para o radar de negócios da capital através da obtenção de capacitação com a orientação do Manaus Tech Hub, que é espaço de inovação e empreendedorismo criado pelo SIDIA Instituto de Ciência e Tecnologia, com o objetivo de executar programas e projetos, promovendo a conexão de startups, empresas e governos com foco na Amazônia Ocidental e estado do Amapá.

A posição logística da cidade de Porto Velho permite um alto grau estratégico do escoamento de produção, por via terrestre, aeroviária e hidroviária, tornando a capital como ponto de evidência no radar dos investidores brasileiros e internacionais. Além disso, Porto Velho é a maior capital em extensão territorial, o que gera grandes desafios para a gestão municipal.

Foram 35 projetos inscritos e selecionados apenas 30 diante dos critérios. Empreendedores e representantes de negócios inovadores de Porto Velho, inscritos na seleção da primeira fase, no mês de junho, participam do treinamento durante os três dias. Foram selecionados para a capacitação, aquelas pessoas que atenderam a alguns critérios exigidos pela ADPVH, como ter formação superior, já que para a execução dos projetos submetidos na Suframa, devem ser feitos por pesquisadores, mestres e doutores. Caso a empresa não tenha, ela tem que se associar a algum instituto de pesquisa.

Durante o workshop serão abordadas informações importantes e estratégicas para a elaboração de projetos de capacitação de recursos na Suframa, que é uma zona de incentivo do governo federal para o desenvolvimento da região amazônica. Além de mostrar como os benefícios fiscais são concedidos para as indústrias instaladas na Zona Franca de Manaus. A importância do treinamento é de extrema relevância, já que parte desses incentivos retornam na forma de recurso que alimenta um fundo utilizado para o desenvolvimento, fomentando novos negócios locais, para que possam ter competitividade nacional e até internacional, profissionalizando a produção local.

De acordo com o presidente da ADPVH, Leandro Dill, os empresários e pesquisadores locais têm muita dificuldade em acessar os recurso, e para orientar essa capacitação, a Manaus Tech Hub e a Sidia, são instituições que captam recursos Suframa, e por isso foram convidados a participarem do treinamento e compartilhar seus conhecimentos para que os empreendedores locais também possam a partir desse conhecimento, melhorar os seus projetos e conseguir captar esses recursos tão importantes e vital para o desenvolvimento da região.

“Esse workshop para Porto Velho é importante porque traz informações substanciais e estratégicas para quem quer elaborar projetos para captar recursos na Suframa, que é uma zona de incentivo do governo federal para o desenvolvimento da região amazônica, na qual alguns benefícios fiscais são concedidas para as indústrias instaladas na Zona Franca de Manaus e parte desses incentivos retornam na forma de um recurso que alimentam um fundo. Então esse fundo de desenvolvimento é utilizado justamente para fomentar novos negócios, ou até mesmo aprimorar os negócios locais para que eles possam não somente ter uma competitividade nacional, mas até internacional, profissionalizando a produção local”, explicou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias