Sem previsão de luta, Aldo mira vaga no histórico UFC 200: “Seria perfeito”

O discurso de que só vai entrar no octógono em luta válida pelo cinturão peso-pena do Ultimate ainda é o mesmo. E, embora não tenha previsão para retornar ao cage, José Aldo, ex-campeão da categoria, está de olho em um card histórico da organização. O manauara, em entrevista ao podcast “The MMA Hour”, nesta segunda-feira, declarou que gostaria de integrar o UFC 200, marcado para 9 de julho, em Las Vegas.

– Seria perfeito lutar no UFC 200. Gostaria de fazer parte disso – declarou Aldo, via telefone, com o auxílio de um tradutor.

José Aldo ainda explicou como se deu a negativa para substituir Rafael dos Anjos no UFC 196, evento marcado para o próximo sábado, em Las Vegas, e citou o profissionalismo para justificar a recusa.

– O Dedé recebeu a ligação, mas a luta não era nossa, eu estava com suspensão médica. Estava relaxado. Sei que o UFC não ofereceu como obrigação, é o trabalho deles. (…) É um esporte de alto nível, não é rinha de galo. Quando houver tempo para treinar, luto a qualquer hora e em qualquer lugar.

Questionado sobre o que considerava mais importante, o cinturão ou uma revanche com McGregor, o atleta da Nova União optou pelo título.

– Quero o cinturão, o importante é voltar a ser campeão. Para mim, é melhor do que qualquer coisa. O meu objetivo é conquistar o cinturão de novo – declarou o manauara, que não mostrou-se preocupado com a possibilidade de o irlandês ficar de vez no peso-leve.