Puns são capazes de espalhar coronavírus?

Está comprovado por meio de estudos que as fezes podem ser uma fonte de contaminação do novo coronavírus por contato fecal-oral ou fecal-respiratório. Isso implica em reforço nos cuidados de higiene – inclusive fechar a tampa do vaso ao dar descarga. Mas e quanto ao pum?

Após confirmar a presença do Sars-CoV-2 em fezes de 28 pacientes, em maio, chineses alertaram para o risco da aerossolização de fezes contaminadas – uma espécie de “nuvem de cocô” – como um possível transmissor.

Sem pesquisa específica registrada para o caso do pum, ainda não é possível saber a carga viral que a flatulência gasosa pode conter. É plausível deduzir, porém, que ela tende a ser minimizada pelas “máscaras” habituais já usadas: roupas íntimas e externas. Com a obrigatoriedade da máscara facial, a proteção contra os gases se torna ainda mais eficaz.

Um médico australiano, o doutor Normal Swan, chegou a afirmar durante um podcast chamado Coronacast, em 17 de abril de 2020, que os infectados pela Covid-19 devem evitar soltar os gases próximos a outras pessoas. Bem-humorado, ele brincou com o fato de ser uma medida de “isolamento social”.

Fonte:Saúde