OPINIÃO DE PRIMEIRA: UMA CIDADE SURPREENDIDA POR UMA DECISÃO INESPERADA :THIAGO FLORES DÁ ADEUS À REELEIÇÃO À PREFEITURA

Surpresa geral em Ariquemes. Tanto o prefeito Thiago Flores quanto a presidente da Câmara, Carla Redano, avisaram que não concorrerão nas eleições municipais a cargos executivos. Carla, atual presidente da Câmara,  ainda não se sabe se tentará a reeleição. Já Thiago, um prefeito que tem realizado um mandato produtivo e de resultados, era, sem dúvida, o principal nome na corrida em Ariquemes, para buscar a reeleição. Se desenhava que Carla seria sua candidata a vice. Thiago escreveu, em carta aberta nas redes sociais, que não disputará mais um mandato. À coluna, disse que não é  um adeus à política, mas apenas um até logo. Depois de um longo texto, feito de muitos agradecimentos, principalmente a todos os ariquemenses, Thiago avisa que amadureceu muito a ideia, antes de divulgá-la, de que  não estará na corrida eleitoral deste ano. “Vivenciei intensamente o dia a dia de Prefeito de uma cidade grande como a nossa, dedicando a esse trabalho todo o meu tempo, meus valores e minha experiência de vida. No entanto, todo ciclo tem um fim; o meu será no dia 31/12/2020. Na certeza de que deixei o melhor de mim neste mandato, anúncio que não serei pré-candidato à reeleição nas próximas eleições de outubro”. Carla Redano apenas publicou uma curta frase, avisando que ficará fora da disputa, mas não detalhou se tentará outro mandato como vereadora. Thiago não abandona a vida pública. Só dará um tempo.

Foi uma decisão solitária. O anúncio de Thiago Flores pegou não só a cidade de surpresa, como toda a sua equipe de governo, na Prefeitura de Ariquemes. Sem comentar o assunto com ninguém, o Prefeito aproveitou seu horário de almoço para produzir o texto, que deixou sem palavras a maioria dos membros da sua equipe e seus muitos admiradores. Como escreveu no Face, em determinado trecho: “não me furtei das responsabilidades do cargo, tampouco me escondia  em momentos de crise, ao contrário, sempre busquei trazer a informação oficial à população, fosse ela boa, fosse ela ruim. Acredito ter conseguido ser transparente com o meu povo, fui cobrado, apanhei por nunca me omitir, mas ser transparente tem seu preço, paguei o meu”. Após agradecer aos amigos verdadeiros a todos os que contribuíram durante sua passagem pela Prefeitura, ele prometeu:  “Faltando pouco mais de sete meses de mandato, reafirmo o compromisso de buscar melhorias para  a nossa cidade, mas, principalmente, de fazer absolutamente tudo o que estiver ao meu alcance, para diminuir ao máximo os prejuízos sociais e econômicos causados pelo coronavírus, até porque nada pode ser maior do que a crença em Deus e na força do trabalho”. À coluna, ele relatou algumas decepções, incluindo interferência no Poder Executivo, recordando casos de decisões judiciais, mas avisou que no futuro pode voltar. Infelizmente, Rondônia perde, ao menos por algum tempo, uma liderança nova, que nunca aceitou o toma-lá-dá-cá da política e que, certamente, tinha grandes chances de reeleição. Voltará?

STF ASSUME DE VEZ A PRESIDÊNCIA DO PAÍS

Uma pá de cal sobre a independência dos poderes foi dada pelo STF, nesta quarta, quando, atendendo pedidos de deputados de oposição e pressão da mídia antigovernista, o ministro Alexandre de Moraes, aquele indicado por Michel Temer, concedeu liminar impedindo a posse do novo diretor geral da Polícia Federal, Alexandre Ramagem. Escolhido pelo presidente da República, conforme prega a lei, Ramagem não pode assumir o posto porque seria muito amigo do presidente Bolsonaro e de sua família. Haveria risco do presidente da República utilizar a PF ilegalmente. Haveria. Ou seja, o STF pré julgou que o Presidente realmente tenha planejado um crime, como denunciou Sérgio Moro. Moraes disse, em sua decisão, que a indicação poderia ser ilegal, por “inobservância aos princípios Constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público”. Unindo-se à oposição, o STF deixou claro quem governa esse país. Seria bom lembrar que nem o ministro Alexandre de Moraes e nenhum dos seus pares foram eleitos por 57 milhões de brasileiros. Mas isso, para o Supremo, ao que parece, é apenas um detalhe!

LÉO MORAES JÁ SABE A RESPOSTA

Uma liderança nacional do Podemos, seu partido, o jovem deputado federal rondoniense Léo Moraes está aprendendo, na prática, que a teoria é outra. Ele publicou desabafo nas redes sociais, essa semana, protestando contra o fato de que há um ano mais quatro meses e meio, continua sem entrar na pauta da Câmara votação de projeto que acaba com o foro privilegiado. Parece que Léo, como um dos parlamentares novos, cheio de ideias para melhorar o Brasil, ainda não entendeu  que o Congresso não vai mesmo priorizar  projetos que tiram qualquer um dos seus privilégios. Veja o que Léo escreveu sobre o assunto, nas suas páginas do Facebook: “a proposta para acabar com o foro privilegiado, completou 500 dias engavetada na Câmara dos Deputados. Sou o relator da matéria e cobrei da Presidência para que seja dada uma previsão de votação, pois a pauta é fundamental para acabarmos de uma vez por todas com essa regalia, que coloca os parlamentares acima dos cidadãos. Somos e devemos ser tratados, todos, de forma igualitária. Quem não deve, não teme!”. No final, pergunta aos seus seguidores: “e você, o que acha do fim do foro privilegiado?” Perguntou por perguntar. Ele sabe qual a resposta de cem por cento dos que vão responder…

OS TRÊS MANDATOS DE CLÊNIO NO TRE

Um dos advogados mais respeitados de Rondônia, com uma vida dedicada ao Direito, Clênio Amorim já foi três vezes membro do Tribunal Regional Eleitoral, TRE, na cota da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Nesta terça, ele participou da última reunião da sua atual gestão, como Desembargador do tribunal. Durante a reunião, todos os seus companheiros o homenagearam, destacando sua atuação como membro da Corte e sua significativa contribuição ao Tribunal. Participaram da sessão dos Desembargadores Marcos Diniz Granjeia (presidente); Alexandre Miguel; Francisco Borges Ferreira Neto; Ilisir Bueno Rodrigues; Marcelo Stival e o próprio Clênio Amorim. O Ministério Público Eleitoral foi representado pelo procurador Luis Gustavo Mantovani. Em breve, a OAB enviará uma lista tríplice e dela surgirá o nome indicado para o posto pelo presidente da República. Clênio Amorim pode ser reconduzido ao quarto mandato.

SÃO 433 CASOS E 14 MORTES

Já são 433 casos positivos de corona vírus no Estado, 313 deles em Porto Velho (72,5 por cento) e 115 pacientes curados (26,5 por cento). Infelizmente, a má notícia é que o número de mortes continua crescendo. Já são 14 óbitos, 12 deles de pessoas idosas. Mas, mesmo entre a terceira idade, onde a Covid 19 mais tem sido mortal, há notícias positivas. Uma anciã de 89 anos, internada em Cacoal, está curada. O secretário Fernando Máximo elogiou toda a equipe que tratou da idosa e, claro, todos comemoraram a boa nova. Há no total, 99 casos confirmados do corona vírus somente entre os servidores da saúde. Só no Hospital João Paulo II, 200 funcionários estão afastados preventivamente. A doença continua crescendo. Todo o cuidado é pouco, alertou Máximo.  A Sesau alerta que o pico da doença ainda não chegou a Rondônia. As próximas seis semanas serão decisivas. Depois disso, os números tendem a cair.

O SHOPPING VAI ABRIR NA SEGUNDA?

Numa entrevista na manhã desta quarta, o prefeito Hildon Chaves explicou os motivos pelos quais decidiu revogar o decreto assinado por ele no último dia 15, que inclusive tinha aval do Judiciário, que flexibilizava a abertura do comércio, de forma lenta e gradual. O resumo da ópera é que Hildon afirmou que como foi feito um decreto posterior ao dele, vindo do Governo do Estado e para evitar conflitos de decisões, achou que deveria deixar a validade apenas da lei estadual. Mas há problemas. No decreto assinado pelo governador Marcos Rocha e aquele que Hildon agora revogou,  há algumas diferenças. Alguns dos setores que o decreto municipal permitia a abertura, não estão contemplados no decreto estadual. Por exemplo: shopping centers, lojas de vestuário e de calçados não estão autorizadas a abrir, na lei do Estado. Estavam no decreto do Município. O decreto estadual dá à Prefeitura, autoridade para tomar decisões. Resumindo: o Porto Velho Shopping só poderá abrir, na próxima segunda, caso seja feito  novo decreto do município, com autorização específica neste sentido. Há, ainda, dúvidas no ar sobre o que acontecerá com o maior centro comercial do Estado em área fechada. Importante: ficou claro na entrevista do prefeito que Município e Estado não  estão falando a mesma linguagem na questão da guerra ao corona.

EXPEDITO ELOGIA AÇÕES EM ROLIM DE MOURA

O ex senador Expedito Junior não poupa elogios à sua cidade, Rolim de Moura, pela forma como está enfrentando a crise do corona vírus. Escreveu ele: “como sempre Rolim foi uma das primeiras cidades a flexibilizar seu comércio. Mas é oportuno parabenizar o Prefeito e sua equipe pela fiscalização e controle praticamente em toda a cidade”. Lembrou que, como Rolim não tem aeroporto, “o vírus só pode entrar por terra”. Por isso, segundo Expedito, o prefeito  Luiz Ademir Schock, com sua equipe “estão monitorando todas as pessoas que estão chegando em nossa cidade, inclusive aferindo a temperatura de todos visitantes”. Expedito destacou que o processo e os cuidados são um pouco demorados,  mas destacou que tudo o que tem sido feito “é necessário” e acrescentou que a Prefeitura acompanha por 14 dias todos os visitantes de nossa cidade”. Rolim de Moura tem hoje quatro registros de contaminados por corona vírus. Porto Velho (313 casos); Ariquemes (64) e Ji-Paraná (32).

AMONTOADOS NAS AGÊNCIAS DA CAIXA

É assustador o número de pessoas que se amontoam (literalmente), na frente das agências da Caixa Federal tanto em Porto Velho em praticamente todas as cidades brasileiras. Por aqui também são milhares de pessoas que formam filas imensas, tentando desesperadamente conseguir receber os 600 reais distribuídos pelo governo federal, para os mais pobres. Toda essa gente, desesperada, muitos à beira da fome – sua e da sua família – tentam de todas as formas serem beneficiados. Muitos sequer têm direito, mas mesmo assim se amontoam nas agências. O aplicativo da Caixa, aliás, muitas vezes não funciona. Nesta quarta, o deputado federal Expedito Netto anunciou que entrou com uma ação contra a CEF e o Governo Federal, com pedido de liminar, para que a Justiça exija a solução para os problemas desses milhares de rondonienses que estão sofrendo, em filas sem fim e ainda correndo o risco de serem contaminados ou contaminar muita gente, com o corona vírus. A paciência do jovem parlamentar esgotou.

PERGUNTINHA

Na sua opinião, o Porto Velho Shopping vai mesmo reabrir suas portas, com todos os cuidados, a partir da próxima segunda, dia 4 ou a data será transferida outra vez?

Por:Sergio Pires