OPINIÃO DE PRIMEIRA: LÁ SE FOI NOVAMENTE NOSSA ESPERANÇA! É MAIS UM GOVERNO QUE CAMINHA PARA UM FINAL MELANCÓLICO

O sonho durou pouco! Aquele governo de sonhos do Brasil, em que se imaginava que figuras de biografia ilibada seriam o aval para uma administração decente, voltada para os interesses maiores da Pátria; para o duro combate à corrupção; para uma economia de mercado que possibilitasse a ressureição do país como potência econômica, depois da destruição praticada pelo petismo, tudo parece estar indo água abaixo, depois de algumas poucas canetadas daquele que era uma espécie de Cavaleiro da Esperança da direita, do novo Brasil, eleito com 57 milhões de votos e que está fazendo pior do que se poderia imaginar. Embora argumente e explique, Bolsonaro está se mostrando o que a oposição tem dito dele: despreparado, dando atenção apenas a questões menores; ouvindo filhos desequilibrados e tratando o Brasil como propriedade privada. Ao escantear ministros que tinham popularidade, Jair Bolsonaro começa a dizer aos brasileiros que só lhe importam os interesses do seu grupo, da sua família, dos radicais que o acompanham. Chutar o ministro Mandetta, no auge da crise do corona vírus, até que não foi tão ruim, porque o substituto é também competente e menos midiático. Boa parte do país engoliu a mudança. Mas obrigar uma das figuras mais carismáticas da Nação, Sérgio Moro, aquele que tem a aprovação de oito entre dez pessoas; aquele que destroçou a roubalheira petista e de seus aliados; aquele que salvou o Brasil das mãos de tantos ladrões, é dar um tiro de canhão, daqueles de 88 milímetros, nos dois pés, não importam os argumentos dados em seu longo pronunciamento. Mais ainda: começar a fritar o mais competente ministro da Economia que o país já teve em sua história, como Paulo Guedes, é o cúmulo da idiotice, da burrice, do narcicismo,

Bolsonaro vendeu ao país uma ideia de transformação, de  novo viés, encheu os brasileiros de sonhos e esperanças, depois de tudo o que sofremos com o esquerdismo, que nos tornou um país doente. Imaginávamos que viria por aí um novo tempo, uma nova filosofia, um mundo novo. Ele até que chegou a ser ensaiado, com um Ministério de alto nível, com gente de primeira qualidade, com várias medidas bastante positivas. Mas o sonho durou pouco. Personalista, muitas vezes desequilibrado, com ações que beira um namoro com a ditadura, Bolsonaro vem decepcionando muitos dos que estiveram sempre ao seu lado. Infelizmente, temos que começar a lamentar que seu governo está a caminho para um final infeliz. Que o futuro dos livre de coisas piores, mas, na verdade, perdemos mais uma vez a chance de sermos uma grande Nação. Os próximos capítulos, lamentavelmente, não se desenham entre os melhores augúrios para todos os brasileiros. Uma tristeza!

QUEM MAIS PERDEU FOI O BRASIL

O que ficou ainda pior foi a troca de acusações entre dois personagens importantes da República. Moro saiu atirando e acusando seu agora ex chefe de querer interferir politicamente na Polícia Federal. Bolsonaro, ao responder, foi… Bolsonaro! Criticou o personagem a quem tanto elogiou durante todo o seu mandato e acusou Moro de ter tentando um tipo de chantagem, porque teria aceito a troca do diretor geral da PF depois de novembro, quando ele, Moro, deveria ser indicado pelo Presidente para uma vaga do Supremo Tribunal Federal. Uma série de baixarias e maldades marcou o triste evento. Certamente Bolsonaro será o grande perdedor, até porque Moro é querido pela mídia e pela população e a próxima pesquisa vai mostrá-lo com grande aceitação, enquanto a de Bolsonaro estará cada vez mais restrita apenas ao seu grupo político e aos mais chegados à extrema direita. Uma guerra pelas redes sociais de partidários de um e outro, já mostrou o mundo cão em que a internet está jogada. Enfim, foi mais um episódio  lamentável, em que todos saíram perdendo. Mas a perda maior foi, de novo, do povo pobre brasileiro!

BRASÍLIA SURGIU EM QUATRO ANOS. E A PONTE?

O caminhoneiro olha, com desalento, uma obra gigantesca, que vai comemorar seu sexto aniversário desde o início e, como tantas obras públicas importantes no Brasil, está ali, semiconcluída, sem utilidade alguma. Depois de terem sido gastos mais de 130 milhões de reais, a ponte sobre o rio Madeira, na Ponta do Abunã, que vai ligar Rondônia e o Brasil ao Acre e a países vizinhos por terra, pela primeira vez na história, podendo nos levar até o Pacífico, ainda é apenas um sonho. Falta pelo menos um quilômetro de acesso do lado de Porto Velho, já que o que dará acesso ao Acre já está praticamente pronto. Uma série de obras de engenharia e a extensão da ponte em pelo menos 500 quilômetros impedem que os caminhões, em época de seca esperem até 12 horas para atravessar pela balsa e ainda paguem 220 reais para ida e outros 220 na volta. Com tudo o que está acontecendo no país, não se tem certeza de quando a ponte estará pronta. Pode ser no final deste ano (se o Dnit tiver dinheiro) ou apenas lá pelo meio do ano que vem. Para se ter ideia, Brasília foi construída nas piores condições no meio do cerrado, em apenas quatro anos. Uma ponte de pouco mais de 2 quilômetros pode levar o dobro para servir à população. Uma vergonha!

AÉLCIO É OUTRO CASSADO PELO TRE

Mais um mandato cassado, o segundo em menos de um mês. Ambos pelo Tribunal Regional Eleitoral  (TRE). Primeiro foi a deputada Cássia das Muletas, por um erro primário de aceitar  apoio financeiro de um partido que não fazia parte da sua coligação. Uma firula jurídica apenas, mas é a lei. Agora, outro deputado tem que recorrer ao TSE, como o fará Cássia: Aélcio da TV,   parlamentar que se notabilizou por divulgar um painel mensal com todo o dinheiro que economizou, encaminhando os valores para a educação.  A acusação contra Aélcio, aceita por quatro entre cinco desembargadores, é de exagero na exposição na mídia, quando da sua reeleição, no ano passado.  Deputado de segundo mandato, Aélcio já avisou que vai ao TSE, mas só se não custar caro. Se achar que terá que gastar muito, anunciou: “vou deixar pra lá e tratar da minha vida!”. A legislação eleitoral, que muda a cada dois anos e a cada eleição, toma esse tipo de decisão, priorizando  algumas questões legais em detrimento do que o voto decide. Um dia, quem sabe, chegaremos a uma maturidade em que tais questões não se sobrepujem ao desejo do eleitor.

CRISTIANE QUER SER A PRIMEIRA PREFEITA

Não é para qualquer político. Com pouco dinheiro, micro estrutura, gastando apenas vários pares de sapatos, definhados nas caminhadas e nos apertos de mãos sem fim, ela conseguiu nada menos do que 20.350 votos, dos quais 19 mil apenas na sua cidade, onde é vereadora desde 2017. Há muitas outras credenciais, mas apenas esse cacife político já daria à vereadora Cristiane Lopes o direito de pensar em tentar ser a próxima prefeita de Porto Velho e a primeira mulher a sentar na cadeira de comando da maior cidade rondoniense. Mesmo sabendo que terá que enfrentar adversários duríssimos, a maioria deles muito bons de urna, como o atual prefeito Hildon Chaves, ela se diz pronta para o desafio. Foi uma rápida ascensão na carreira de uma menina que ajudava a mãe a vender pão caseiro, foi  vendedora de loja e que, com grande sacrifício, tornou-se jornalista, com uma carreira que chega aos 15 anos, seis como apresentadora da Band. Quando disputou a Câmara, sua primeira incursão pela política, era considerada entre as candidaturas sem chance: seria apenas escada para nomes mais conhecidos. Erro grave! Teve 2.887 votos, algo inesperado para quem não conhecia seu potencial.

ELA NÃO TEME O CEMITÉRIO DE POLÍTICOS

 Ao disputar a Câmara Federal, a conversa voltou a ser a da “escada” dentro do seu partido, o PP. Ela faria meia dúzia de votos e ajudaria a eleger, por exemplo, Jaqueline Cassol, que acabou mesmo eleita. Pois Cristiane foi à luta e fez mais de 20 mil votos. E ainda devolveu ao Fundo Partidário mais de 118 mil reais que não quis usar. Preferiu a campanha olho no olho do que a gastança. Nascida em Porto Velho (ela diz que é “minhoca da terra”!), casada, mãe, essa cara nova na política agora anda empolgada com a ideia de concorrer à Prefeitura. Embora ainda não se saiba se a eleição será mesmo realizada este ano, por causa da crise do corona vírus, Cristiane se diz preparada para enfrentar o desafio. E já tem discurso de candidata. Diz que sua experiência como jornalista e no contato com as pessoas, deu a ela conhecimentos e sensibilidade suficientes para enfrentar qualquer obstáculo. E conclui que não teme a máxima de que a Prefeitura da Capital de cemitério de políticos. Diz que há muito o que fazer por aqui. “Se cidades do interior dão certo, em muitas delas as coisas funcionam, por que não funcionam aqui?”. Cristiane já pensa longe. Acha que deve encarar o desafio, ao invés do comodismo de tentar uma reeleição muito mais fácil e que tem muito a fazer por sua cidade natal. Enfim, há uma mulher jovem, forte e destemida querendo abrir espaço na política rondoniense. Seus mais de 20 mil votos de 2018 se multiplicarão? Esperemos para ver…

CORONA: OUTRO PASSO À FRENTE DA DOENÇA

Estamos com 328 casos confirmados de corona vírus em Rondônia, quase  73 por cento deles em Porto Velho. Já são sete mortes, seis de idosos e uma de um  homem de 52 anos. Ainda não chegamos ao pico da doença e espera-se que ela comece a arrefecer apenas daqui a algumas semanas. Mas a ocupação dos leitos hospitalares tem aumentado. Até o sábado, já haviam 22 pacientes internados, um pouco a menos do que sexta, quando haviam 29 rondonienses hospitallizados. E a tendência é que as internações aumentem nos próximos dias. Por isso, não se pode criticar – pelo contrário – a decisão do governo do Estado em alugar parte do hospital Prontocordis, com 50 leitos clínicos e 16 de UTI, com toda a sua estrutura, para se precaver, caso haja necessidade. O valor do contrato de três meses, de pouco menos de 3 milhões de reais/mês, foi confirmado e informado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas, que têm acompanhado de perto todos os investimentos do Estado, na guerra do corona vírus e que, obviamente, só depois os órgãos fiscalizadores vão dizer se foi tudo certo ou não.  A verdade é que Rondônia em se antecipado à crise. Prova disso é que, ainda em janeiro, quando pouco se falava do enorme perigo da Covid 19, o secretário Fernando Máximo já anunciava a compra de  respiradores. Andando um passo à frente da doença, agindo preventivamente, os riscos de termos muito mais infectados, com a população tomando os cuidados que já sabe de cor e salteado quais são,  e muito mais mortos diminuem bastante.

A VIDA ESTÁ RECOMEÇANDO…

Graças a decreto assinado pelo prefeito Hildon Chaves e apoiado por decisão do Tribunal de Justiça, em  Porto Velho, gráficas, papelarias, imobiliárias e seguradoras, concessionárias de automóveis, motocicletas, caminhões e equipamentos pesados, e lojas de veículos novos e seminovos já voltaram às atividades. Com horário diferenciado, também estão reabrindo lavanderias e serviços essenciais de limpeza como limpa fossa, produtos de informática e telefonia, óticas, joalherias e relojoarias, tabacarias, salões de cabeleireiro, clínicas de estética, barbearias e lojas de cosméticos. A partir desta segunda, a lei autoriza a volta de comércios de confecções em geral, incluindo armarinhos e aviamentos, comércio de calçados em geral, eletroeletrônicos, móveis, e utilidades domésticas, autoescolas e despachantes. Só na outra segunda, dia 4 de maio, reabrem vários outros segmentos e também os Shopping Centers, embora não com funcionamento da Praça de Alimentação. Aos poucos, com muito cuidado e contando com o respeito da população às exigências para evitar a propagação do corona vírus, a vida na Capital começa a voltar, aos poucos, à normalidade. O importante é que haverá rígido controle da fiscalização da Prefeitura. Lojas que não estiverem dentro de todas as exigências de segurança contra o corona vírus, podem até ser fechadas.

PERGUNTINHA

Se a eleição para a Presidência da República fosse hoje e os candidatos fossem Jair Bolsonaro e Sérgio Moro, em quem você votaria?

Por: Sérgio Pires