Opinião & Comportamento | Filhos super protegidos: lembrem-se, os pais não são eternos!

“Pais que ‘mimam’ demais acabam sendo dominados e até mesmo mal tratados pelos seus filhos; dar dinheiro, total liberdade e não cobrar responsabilidades, só fará deles pessoas dependentes e menos preparadas para a vida” – | Felipe de Jesus |

Sociólogo■
Felipe de Jesus

Talvez seja uma forma errada de ver as coisas, ou então muito analítica da minha parte, mas, o que mais tenho visto e presenciado ultimamente em nossa sociedade, são filhos, já na casa dos seus 18 até 28 anos de idade, ainda dependentes (quase que totalmente) de seus pais. De um lado, pais que acham que proteger e dar de tudo, é a melhor forma de evitar as mazelas do mundo. Já do outro lado, filhos acomodados (alguns até preguiçosos), que não sabem o valor de nada! Enquanto esses pais tem um histórico de luta e de muita batalha em suas vidas, não estão ao mesmo tempo sabendo mostrar a importância da “independência”, principalmente financeira para os seus filhos.

Atualmente, parte desses filhos (na casa dos seus 18 até 28 anos de idade), acham que “apenas” estudar (fazer uma faculdade), basta para mostrar que são donos do seu próprio nariz e de suas atitudes! Mas o que acaba acontecendo é algo óbvio: no momento do aperto, principalmente financeiro, correm como crianças para o colo do “papai” e da “mamãe”, mostrando assim, toda a sua fragilidade e falta de “pulso firme” para encarar de frente os seus problemas e anseios. Mas, será que esses filhos são culpados por agirem assim? Claro que não! O erro “infelizmente” está nas atitudes que esses pais acabam tendo, não ensinando nada, apenas os transformando cada vez mais em pessoas dependentes e despreparadas!

“Mas o que acaba acontecendo é algo óbvio: no momento do aperto, principalmente financeiro, correm como crianças para o colo do ‘papai’ e da ‘mamãe’, mostrando assim, toda a sua fragilidade e falta de ‘pulso firme’ para encarar de frente os seus problemas e anseios” – | Felipe de Jesus |

Conheço, até mesmo, pessoas na faixa dos seus 30 e 50 anos de idade, que desde a sua adolescência, tem uma super proteção dos pais. O resultado disso? Até hoje não sabem se virar na vida, dependendo parcialmente ou até mesmo totalmente ‘financeiramente’ de seus pais! Ás vezes tenho a chance de conversar ‘sutilmente’ com alguns pais (que tem filhos entre 18 até 28 anos de idade) a respeito da falta de atitude e responsabilidade deles dentro de casa e na rua. Sabe o que escuto desses pais? “Banco e assumo meu filho (a), porque passei por muitas dificuldades no passado e tive que me virar sozinho para vencer na vida, sem ajuda dos meus pais. Não quero que ele passe o que eu passei!”. Ou seja, preferem ‘mimar filho velho’ do que ensinar que com as dificuldades (que inclusive eles passaram), que os seus filhos aprenderão a dar valor as coisas e a vencer na vida. Confesso que as vezes é duro ter que ouvir esse tipo de justificativa de pais que querem ‘tapar o sol com a peneira’.

Faça a diferença |

Esse é o momento de repensar sobre como vocês “pais e mães” tem agido com seus filhos e assim, fazer alguns questionamentos importantes a si mesmos: será que meu filho (a) está aprendendo a ser alguém melhor? Será que está vendo que a vida também tem dificuldades? Será que também será um bom pai ou mesmo uma boa mãe através dessa criação que estou dando? Pense nisso e lembre-se que dar dinheiro, total liberdade e não cobrar atitudes e responsabilidades de seus filhos, só fará deles, pessoas cada vez mais dependentes e menos preparadas para a vida. Não queira proteger demais, pois o mundo cobra e vocês, poderão não estar por perto para ajudá-los.

Filhos, aproveitem para fazer a diferença agora! Tomem suas próprias rédeas ajudando seus pais e assim, se tornem pessoas melhores para vocês mesmos e para as futuras gerações.