Ji-Paraná

Projeto Salto compartilha vivências em reunião nesta quarta-feira em Ji-Paraná

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

“A Fundação Roberto Marinho contabiliza a formatura de 6.500 estudantes do Ensino Fundamental em escolas públicas de 43 municípios de Rondônia. Para 2017, a previsão é que mais 1.260 jovens de 10 municípios devem concluir o Ensino Médio pelo programa realizado pelo governo de Rondônia com a Fundação Roberto Marinho.

Para compartilhar vivências e participar de oficinas, nesta quarta-feira (30), na Escola Marcos Bispo, em Ji-Paraná, haverá uma reunião com estudantes, professores e gestores escolares cujas escolas adotaram o Projeto Salto.

“Assegurar, até 2030, a educação inclusiva e equitativa de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”, esse é um dos objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) da ONU, acordados durante a Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, com sólida adesão do Brasil. Diante desse contexto, Rondônia se uniu à missão global de ampliar e qualificar o acesso à educação, e implementou o Salto – iniciativa do governo estadual, por meio da Secretaria de Estado de Educação de Rondônia, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, e que conta com o apoio do Ministério da Educação (MEC).

O projeto, adotado desde 2013 em escolas públicas de 43 municípios rondonienses, garantiu que 6.500 jovens concluíssem o Ensino Fundamental e conquistassem seu lugar no Ensino Médio. Em 2017, outros 1.260 jovens e adultos, que estavam em séries não adequadas para a idade ou estavam afastados da escola, devem concluir o Ensino Médio pelo Salto. O projeto usa metodologia do Telecurso, reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), adotada atualmente como política pública em outros 12 estados brasileiros, para apoiar a solução dos principais desafios da educação básica.

“O Salto tem uma prática que valoriza e motiva o professor, e um currículo com significado, que desperta no estudante o prazer de aprender e de estar na escola. Sabemos que práticas pedagógicas que incluem a todos, que acolhem a diversidade e a pluralidade, alcançam melhores resultados”, explicou Vilma Guimarães, educadora e gerente geral de Educação da Fundação Roberto Marinho. “Nesse sentido, priorizamos a adequação idade-ano, a formação continuada de professores e a educação de jovens e adultos, utilizando os resultados das avaliações realizadas para o aprimoramento constante dos projetos pedagógicos. Da mesma forma, adotamos práticas inovadoras em sala de aula e conectadas com as tecnologias do nosso tempo, que criam oportunidades para os estudantes desenvolverem seus projetos de vida, no âmbito pessoal e profissional, criando assim um espaço escolar de qualidade e prazeroso”, reforçou.

Os resultados do Salto já são percebidos. Lucas Eduardo, 16 anos, que concluiu o Ensino Fundamental pelo Salto em 2016, da Escola Estadual Marcos Freire, do município de Porto Velho, além de vencer dificuldades em várias disciplinas e agora estar na idade adequada para a sua idade, foi um dos quatro alunos da sua escola a passar para a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMPE). “Eu era ruim em matemática, português, ciências. Depois dei um salto! Impressionante eu passar para a Olimpíada!”, comemora o jovem.

“Nossos alunos estão felizes com o Projeto Salto e os professores somam esforços na melhoria da qualidade do ensino nas escolas estaduais de Rondônia e, com isso, há uma significativa melhoria nos Índices de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)”, destaca a secretária Fátima Gavioli.

A diretora da Escola Estadual Brasília, professora Clarina de Moraes, provou que o Projeto Salto é um importante aliado dos alunos, pois ocorre a melhoria do ensino de forma sistemática e dentro de um universo de conhecimento ao alcance de todos os envolvidos no processo pedagógico na escola.

“No início os professores tiveram uma certa resistência por não conhecerem a metodologia. Mas aos poucos esse receio foi se perdendo, e quando saíram os resultados das primeiras avaliações, ficamos surpresos ao observar que os alunos do Salto tiveram um resultado melhor que os do ensino regular, em termos de aprendizado”, relatou Clarina de Moraes.

NÚMEROS DO SALTO

Fundamental 2013 – 2016

189 escolas

306 turmas

306 professores

6959 estudantes

44 municípios (incluindo os do Ensino Médio)

Ariquemes / Caculândia / Rio Crespo / Jaru / Tarilândia (distrito de Jaru) / Vale do Anari / Governador Jorge Teixeira / Theobroma / Ji-Paraná / Alvorada do Oeste / Urupá / Presidente Médici / Ouro Preto do Oeste / Mirante da Serra / Nova União / Cacoal / Espigão / Alta Floresta do Oeste / Alto Alegre dos Parecis / Rolim de Moura / Santa Luzia do Oeste / Novo Horizonte / Costa Marques / São Francisco do Guaporé / Comunidade Quilombola / São Miguel do Guaporé / Seringueiras / Pimenta Bueno / Parecis / Cerejeiras / Pimenteiras do Oeste / Corumbiara / Vilhena / Chupinguaia / Colorado do Oeste / Cabixi / Vilhena / Guajará-Mirim / Extrema / Nova Califórnia / Vista Alegre do Abunã / Porto Velho / Triunfo/ Candeias

Médio 2016 – 2017

30 escolas

36 turmas

110 professores

1260 estudantes

10 municípios

Ariquemes / Caculândia / Rio Crespo / Jaru / Ji-Paraná / Urupá / Presidente Médici / Ouro Preto do Oeste
Texto: Adriana Martins
Fotos: Divulgação

Publicidade
Publicidade

Enquete

Qual sua opinião sobre a PEC 241, que limita os gastos do Governo Federal ?

Ver resultados

Loading ... Loading ...

Populares do mês

Publicidade

Fale com o Rondônia digital

para rondodigital@gmail.com