ENEM

MEC lança ‘Hora do Enem’, programa de TV e plataforma de estudos

quinta-feira, 7 de abril de 2016

O Ministério da Educação (MEC) lançou nesta terça-feira (5) a “Hora do Enem”, programa de TV e plataforma de estudos voltados para preparação de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O conteúdo poderá ser acessado pelo site horadoenem.mec.gov.br.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse que as ações serão desenvolvidas por parceiros e os conteúdos não terão relação direta com o banco de dados ou com o que está em produção pelo Inep para as próximas provas do Enem.

“É uma parceria com o Sistema S. Os custos são todos dessa parceria”, disse Mercadante, sem citar valores.

O programa diário de TV será feito com apoio de professores de quatro escolas (Descomplica, QG do Enem, FGV Ensino Médio e Pitágoras). Os programas começam em maio.

Já plataforma online usa em seu lançamento a estrutura do Geekie Games, ferramenta de simulado online também disponibilizada em anos anteriores pelo G1(veja mais detalhes abaixo). Nesta plataforma estarão simulados, planos de estudos e videoaulas.

Mercadante diz que as ações da “Hora do Enem” são voltadas especificamente para os 2,2 milhões de estudantes concluintes do ensino médio das redes públicas e privada.

 Programas e plataforma

Os programas na TV da “Hora do Enem” serão transmitidos pela TV Escola e 40 emissoras parceiras (sobretudo educativas e comunitárias). A grade prevê matemática às segundas-feiras, ciências humanas às terças-feiras, linguagens às quarta-feiras, ciências da natureza às quintas-feiras, e redação às sextas-feiras.

Já a plataforma online de estudos – que incluirá simulados, planos de estudos e videoaulas – já está acessivel desde esta tarde. No site estudantes concluintes do 3º ano poderão se cadastrar e indicar suas metas.

A partir dos dados, o sistema do Geekie Games ajudará na montagem de um plano de estudos personalizado. Na plataforma também estarão disponíveis exercícios, quatro simulados neste ano e 600 videoaulas.

  • O conjunto de videos online foi apelidado pelo ministro Mercadante de MECFlix e estará disponível a partir de 30 de abril. “Em vez de ver filme no Netflix, que ele venha estudar no MECflix”, brincou o ministro.

    Mercadante ressaltou que o 1º “simulado oficial” vai ser realizado em 30 de abril. Além dele, mais três serão realizados ao longo do ano: 25 de junho, 13 de agosto e 8 e 9 de outubro.

    As inscrições já estão abertas: quem acessa o site da “Hora do Enem” é direcionado para o cadastro dentro do ambiente do Geekie Games.

    Diferentemente do que ocorria com usuários anteriores do Geekie Games, agora ao fazer o cadastro o estudante precisa informar o CPF para ter direito a uma licença gratuita do “Geekie Games Pro”, ambiente no qual serão desenvolvidas as atividades da “Hora do Enem”. O aluno terá que informar os dados pessoais, inclusive o nome da escola para que os dados sejam validados.

    Para poder limitar o acesso, Mercadante disse que o sistema tem os dados dos estudantes concluintes do 3º ano do ensino médio e somente para eles o acesso ao conteúdo será liberado.

    Não há nenhuma relação entre o banco de itens do Enem e o banco do simulado. (…) Dá para ter uma relação muito próxima com o que é o Enem”
    Aloizio Mercadante,
    ministro da Educação

    Diferença de conteúdo
    Mercadante declarou que não há risco de estudantes que não participarem dos simulados ficarem em desvantagem em relação aos outros.

    Segundo ele, o banco de dados do Enem é sigiloso e não é compartilhado com o sistema da “Hora do Enem”.

    “Não há nenhuma relação entre o banco de itens do Enem e o banco do simulado”, afirmou Mercadante, ressaltando que o principal ponte em comum é o uso da metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), usada nas correções do exame. “Dá para ter uma relação muito próxima com o que é o Enem”, disse.

    O ministro ainda afirmou que que o MEC vai tentar introduzir a prova de redação nos simulados. No entanto, ele não deu data para isso.

    Participantes sem acesso à internet
    Segundo o MEC, quem não tem computador e acesso à internet poderá se inscrever, entre 11 e 15 de abril, em uma das 120 mil vagas para fazer o simulado em uma universidade federal ou entidades parceiras. “Essa experiência pode nos permitir, no futuro, fazer o Enem online”, avalia Mercadante.

    O ministro se mostrou otimista com possíveis incrementos no resultados dos participantes da “Hora do Enem” nas notas do exame. “Quem estudar duas horas e meia por dia neste sistema, vai melhorar, em média, 30% na nota do Enem”, afirmou Mercadante.

Publicidade
Publicidade

Enquete

Qual a sua opinião sobre o porte de armas de fogo?

Ver resultados

Loading ... Loading ...

Populares do mês

Publicidade

Fale com o Rondônia digital

para rondodigital@gmail.com