Concurso TJ RO: órgão quer lançar edital no primeiro semestre de 2021

Com a formação da comissão organizadora, o concurso TJ RO já projeta os próximos passos do certame para a contratação de novos servidores. A previsão é de que o edital saia no primeiro semestre de 2021.

Em contato com a equipe de jornalismo do Direção Concursos, o Tribunal de Justiça de Rondônia tirou algumas dúvidas importantes após constituir o grupo de trabalho.

Sobre cargos e vagas, o TJ RO alerta: “Ainda não há um quantitativo sobre as vagas a serem ofertadas nos processos.

As vagas a serem preenchidas serão definidas com base no levantamento feito pela comissão organizadora, que irá apontar a necessidade de cargos a serem providos”.

Sobre o prazo para a publicação do documento, o órgão frisou que pretende lançar o edital até o fim do primeiro semestre de 2021. As vagas para temporários também devem sair nesse mesmo prazo.

Concurso TJ RO: cenário

O órgão possui mais de 700 cargos vagos. Veja como está o cenário do quadro de pessoal:

  • Técnico Judiciário – Sem especialidade: 474 vagas
  • Técnico Judiciário – Informática: 63 vagas
  • Analista Judiciário: 60 vagas
  • Oficial de Justiça: 108 vagas

Os salários dos servidores podem atingir o valor inicial de até R$ 6.365,21 (analista). O ocupante do cargo de técnico recebe o valor de R$ 3.539,04, fora benefícios para ambos os cargos.

Em fim de carreira, os candidatos chegam a receber R$ 10.718,26 (analista) e R$ 5.959,34 (técnico). Esses valores ainda podem crescer muito, caso o servidor possua pós-graduação (18%), mestrado (21%) ou doutorado (25%);

O servidor ainda pode fazer jus a um adicional de incentivo de 10% sobre o vencimento base.

Assim, os salários iniciais de técnico e analista podem chegar a super os valores iniciais de R$ 4,4 mil e R$ 8,6 mil, respectivamente, de acordo com o portal da transparência.

Último concurso foi em 2015

O concurso TJ RO anterior, realizado em 2015, ofertou 153 vagas, sendo 110 para técnico (diversos) e o restante para analista (diversos). Os cargos exigem nível médio e superior, respectivamente.

A prova foi organizada pela banca FGV (Fundação Getúlio Vargas) e contou com duas fases: provas objetivas e prova discursiva. A jornada de trabalho é de 40h semanais.

O candidato teve que manifestar conhecimento na disciplina de português e outras listadas na parte de conhecimentos específicos (a depender do cargo em disputa), dentre as quais:

  • Administrativo
  • Constitucional
  • Civil
  • Processo Civil
  • Penal
  • Processo Penal
  • Recursos Humanos
  • Matemática
  • Legislação Específica
  • Geografia e História